segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Maizena: caixa amarela inconfundível !


A caixa amarela pouco mudou. A cena de índios norte-americanos da tradicional tribo Sioux sacando do milho o seu amido gravada no bico de pena está na memória e faz parte de uma longa história de sucesso. A Maizena é mais clássico exemplo de marca que virou sinônimo do produto. Ou você busca amido de milho quando vai fazer compras num supermercado? O sim, neste caso, soa estranho. Com bom e variado uso na culinária, a Maizena teve origem nos Estados Unidos, no ano de 1854, pelas mãos de Wright Duryea. Ele fundou a Fábrica de Amido Rio Oswego e, mais tarde, recrutou a família para ampliar os negócios e criar a Companhia Produtora de Amido Duryea, que tinha como carro-chefe a fina farinha da caixa amarela.

Origem do Nome: o nome Maizena tem origem na palavra espanhola que representa o cereal que é o insumo básico do preparo da farinha: o milho, ou melhor, "maiz". O termo foi utilizado pelas tribos de índios norte-americanos Sioux e Iroquês, que viviam no sul dos Estados Unidos, para designar as espigas levadas pelo navegador genovês e descobridor da América, Cristóvão Colombo. O milho também inspirou a cor da embalagem, que até hoje segue.


Autor: Francisco José Z. Assis
Fonte: Reprodução parcial da Revista Brasileira de Administração - Ano XXIII Nº 95 - Julho/Agosto de 2013 - Seção Surgiu Assim, página 23.


E a lata, quem lembra dela? Eu lembro, pois minha mão tinha uma destas. E acredito que ainda tenha guardada na casa dela.

Postar um comentário